FAQ – Perguntas frequentes

Para manter a boa qualidade de um grampo de aperto por um longo período, é necessária uma boa conservação.


A função de um grampo de aperto baseia-se no atrito e na inclinação entre a guia e o mordente móvel. Como tal, é importante que a guia seja sempre mantida limpa de gordura, óleo ou cola seca. A presença de ceras e agentes desmoldantes com silicone na guis é especialmente problemática. Estes resíduos devem ser removidos o mais rapidamente possível com a ajuda de um solvente, escova de aço ou lixa. O veio e a articulação da placa de pressão devem ser lubrificados regularmente com um pouco de óleo. O óleo em spray é particularmente adequado para tal. Desta forma, a mobilidade do grampo de aperto é mantida por um longo período.


Se, no caso de um grampo de aperto em ferro fundido maleável, existir um parafuso sem cabeça que impeça o deslize do mordente deslizante, esse parafuso pode ser reajustado com um quarto de volta quando a retenção for libertada. Para grampos de aperto totalmente em aço, é necessário ter atenção à existência de pontos brilhantes na guia, pois tal pode fazer com que o mordente deslizante escorregue. Se forem visíveis pontos brilhantes, devem ser removidos em ambos os lados grão 100, garantindo assim um trabalho seguro novamente.



Diferentes alcances e larguras de aperto dos grampos podem causar problemas no armazenamento.


O expositor móvel é uma solução prática. Nesta construção metálica estável com rodízios, os grampos de aperto podem ser dispostos por tamanho. Além disso, um expositor móve proporciona um trabalho mais flexível e rápido, pois todos os grampos estão sempre ao alcance no local de utilização.


Outra opção de armazenamento é um expositor fixo para grampos, ona qual os grampos podem ser simplesmente inseridos.



Em tesouras metálicas standard, as arestas de corte e as pegas são habitualmente forjadas, compondo apenas uma peça. A força necessária para cortar é determinada pela relação entre o comprimento da aresta e o comprimento da pega.



As tesouras de articuladas são compostas por uma cabeça de corte e um punho. A ação composta produz um maior efeito de alavanca.


A tesoura ideal

Estas tesouras fazem jus ao seu nome porque são realmente versáteis. Podem cortar chapa metálica (a direito) ou grandes e pequenos contornos ou raios (corte exterior). Neste caso, não é relevante se o corte é realizado na margem (corte na extremidade) ou no centro da chapa. Pode igualmente utilizar estas tesouras ideais para entalhar.


Tesouras de corte exterior

As tesouras de corte exterior são mais recomendadas quando o objetivo é realizar cortes radiais finos e estreitos perto da extremidade de uma chapa metálica. Pode utilizar a delicada aresta de corte destas tesouras para recortar formas ou curvas muito estreitas sem qualquer dificuldade.


Tesouras de corte reto

Deseja cortar uma chapa metálica no centro e/ou perto das extremidades? Então a ferramenta perfeita para si é a tesoura de cortes retos. Pode utilizar as suas longas arestas para cortes transversais e entalhes em grandes chapas metálicas de forma rápida e precisa,

com menos esforço.

A tesoura de corte à direita é afiada e concebida para cortar facilmente raios à direita (i. e. uma curva da esquerda para a direita). A tesoura de corte à esquerda é mais adequada para corte de raios da direita para a esquerda.


De uma forma geral, tende a pensar-se que as tesouras de corte à direita são para utilizadores destros, e as tesouras de corte à esquerda para esquerdinos. Contudo, não é assim. Aliás, é o oposto que sucede. Se um destro estiver a cortar um raio (conforme acima, da esquerda para a direita), utilizando uma tesoura de corte à direita, terá que cortar pelo lado exterior do punho. Com uma tesoura de corte à esquerda (raio da direita para a esquerda) é possível realizar o corte pelo interior do punho, o que se torna onsideravelmente mais ergonómico. Desafiamo-lo a tentar!


Não só a qualidade da tesoura influencia o resultado. Também é importante o manuseamento correto da ferramenta:


A chapa deve ser colocada no mordente de corte. Apenas desta forma pode obter um padrão de corte ideal, devido aos raios de corte. Se a chapa não estiver sobre o mordente de corte, ela desvia-se. As consequências são um maior esforço e menos tempo de paragem.


Para cortar, a tesoura deve estar bem abertae a chapa inserida o mais possível nas lâminas da tesoura. A  tesoura não deve ser totalmente fechada ao cortar: Após cerca de ¾ do comprimento de corte, abrir a tesoura e fechar novamente. Apenas desta forma pode obter um corte sem rebarbas. Ao fechar totalmente a tesoura, durante o corte obtêm-se pequenas fissuras transversais na extremidade do corte.


É ainda importante que as tesouras de chapa manuais sejam utilizadas apenas para o corte de chapas finas em metais macios e aço. Elas não são adequadas para o corte de formatos redondos e angulares de metal como, por exemplo, arame, pois provocariam a rutura das superfícies de corte.



Se a força manual for insuficiente para cortar a chapa, tal pode dever-se a dois motivos: as lâminas podem estar simplesmente rombas ou a chapa pode ser demasiado espessa. Ao utilizar uma tesoura manual, certifique-se de que corta apenas chapas com uma espessura entre 1,2 e 1,9 mm. No entanto, isto depende sempre  do tipo de chapa e da qualidade do corte.